Entra e sente o perfume
das minhas flores...
Obrigada pela companhia e carinho.

Se puderes, envia-me as tuas pétalas e
moldarei novo canteiro neste jardim.

Podes publicar o que quiseres mas referencia este blog ou a sua autora - A_Medusa.

Há imagens que desconheço o autor. Se fores o seu autor avisa-me.

Quarta-feira, 23 de Julho de 2008

Deusa...da mitologia, de Armando Sousa

Ho deuses antigos, dos nossos antepassados
Vinde com vosso amor nos levantando desta miséria

Sejais deuses como Afrodite de elogios rasgados

Mesmo sendo amor e deusa do ser humano

Nascida da espuma do sexo atirado ao mar; era séria

Todos os olhos a contemplavam; era bendita

Sua pele macia como penas lustrosas do cisne

Seu corrupio era um regalo de doce prazer; mulher dita

Nos braços humanos do amor; deusa sublime.

Zeus, louco, só Afrodite podia ver e amar

Ela era o sublime de beleza entre o céu e a terra

Apolo, seus olhos cheios de amor a comia com o olhar

Coisa mais bela...mulher, magia... deusa era

Era satisfação do amor; espuma a te abraçar

Quem eras tu Afrodite?... eras palpável, ou cor da visão?

Eras historia escrita, ficas-te para contar

Eras a forca, o impulso que vives em todo coração

Eras de espuma, que ainda hoje o humano quer nadar

Eras deusa do amor e do sonhar

Por ti Afrodite estou mentindo

E voz amigos, embebidos a escutar

 

Por Armando Sousa

Toronto Canada


floreado por A_Medusa às 02:20
em flor | a tua pétala aqui | favorito
|
3 comentários:
De armando a 28 de Julho de 2008 às 12:50
500 anos atrás
As moças nuas correndo
Sem ninguém que as defenda
Do que surgia do mar
Com o telintar das espadas
Tantas cabeças cortadas
Tanto sangue que corria
Velhos e crianças jazia
Junto ao mar moribundos
As palmeiras os cobria
Dos conquistadores vagabundos

ouviam-se moças a gritar
O sangue na areia a jorrar
De virgens ainda crianças
Queriam guardar castidade
Até que chega-se a idade
De o corpo conhecer mudanças

Mas ali foram forçadas
Por cristãos desonradas
Mesmo debaixo da crus
Creio ser uma folia
Ao que aos Índios se fazia
Usando o nome de Jesus

Foi debaixo de palmeiras
Ou então de bananeiras
Ouve tanta atrocidade
Os homens eram cristãos
Dizendo não são irmãos
saciai-vos há vontade

levai-as para nossa terra
Nos porões desta galera
Trabalhar p’ra nossa gente
Fazei ouvir as chicotadas
Com as pernas algemadas
Por uma forte corrente

Traziam moças escravas
Nuas e bem algemadas
Que vendiam no mercado
Minha gente foi assim
Hoje eu leio essa desgraça
Que não queria para mim

Não, não valeu a pena.
Escravizar gente morena
Cometer tanta atrocidade
Não foi descobrir o mundo
Fostes homens vagabundos
destruis-te a castidade

Sou filho da mesma raça
Quem cometeu tanta desgraça
Em nome de meus antepassados
Peço perdão aos lesados
Nesta minha poesia.
Por favor, dai-me essa alegria.

Por Armando Sousa



De PLENOÍNTIMO a 3 de Janeiro de 2009 às 20:41
http://plenoeintimo.blogspot.com/
BOM ANO


De Manuel a 19 de Setembro de 2009 às 09:34
Eras de espuma,
----------
Com o tempo a espuma acaba por desaparecer.
Fica bem.
Felicidades


Comentar post

********** Obrigada pela visita e comentário**********

medusadinha

Selo do Jardim


Use Ctrl+C para copiar
e Ctrl+V para colar
o selo no teu blog

Bouquet de Flores



Prémio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pétalas novas

Eu até posava nua...

Doce perfume de mulher

poltrona da sílaba

Delírios

Lava de amor

de basalto enegrecido

Eu só queria...

Eroti_cidade

Arde-me a alma, brasio de...

De volta para o meu aconc...

canteiros

Dezembro 2014

Janeiro 2014

Setembro 2013

Agosto 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Maio 2012

Outubro 2011

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Março 2006

Pétalas

aniversário

apresentação

berço de ouro

canção dos bloguistas

flores da medusa

flores de outros autores

flores em destaque

flores especiais

histórico

mote

notícias

poesia em rede

sonetos

uma foto por ilha

todas as tags

Dezembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


amores-perfeitos

procura uma flor

 

O mote florido






online



Hino à Medusa




Machado de Carlos

Mãos de bronze e cútis de puro ébano.
Em tuas asas de ouro senti a faísca!...
Ignóbil, viajei num mundo fantástico
e em êxtase beijei tua túnica.

Naveguei no Atlântico!... Eram efêmeras
as águas... Renasci nas cinzas de Fênix.
Entre pedras encontrei o Éden,
e, imóvel fiquei com o teu fascínio!

No micro frasco de rara fragrância
estava a Medusa: - Lindo ícone
a confundir o meu ego: Um mistério?!

Mas Zeus destruiu a minha fórmula...
Tremi tresloucado diante da efígie
que dourou a ilusão; um doce eflúvio!...

Carlos,
Ribeirão Preto,
18 de Janeiro de 2006.
17h50

Canto das flores


www.flickr.com
This is a Flickr badge showing public photos from maria69. Make your own badge here.

Outros Jardins ilustrados


Pela Amazónia


Selo pela Amazónia

Clique na imagem para ampliar
in blog Educação Ambiental
SAPO Blogs

subscrever feeds