Entra e sente o perfume
das minhas flores...
Obrigada pela companhia e carinho.

Se puderes, envia-me as tuas pétalas e
moldarei novo canteiro neste jardim.

Podes publicar o que quiseres mas referencia este blog ou a sua autora - A_Medusa.

Há imagens que desconheço o autor. Se fores o seu autor avisa-me.


Sábado, 6 de Outubro de 2007

«Saudade» de Isa

Saudade

Em cada alvorada,
Tecem-se palavras
De amor e carinho,
Que flutuam no céu.
Enlevam uma doce saudade,
Que faz latejar o coração.
O dia sorriu com pétalas de Sol,
Sobre o manto azul bordado a ouro e marfim,
Tatuando a palavra saudade.
Da essência do perfume…jasmim,
Chama de lanterna… luz que aqueceu a alma.
Saudade do tempo… sem tempo,
Acalentando esperanças vindouras.
Desmaia o dia, navega a noite na terra árida e fria.

Isa


floreado por A_Medusa às 14:53
em flor | a tua pétala aqui | pétalas de mimos (4) | favorito
Terça-feira, 25 de Setembro de 2007

Ele / Ela - fazem pensar

Li um texto no blog de Luísa Castel-Branco, num artigo cujo título é:


"Questão de tempo".

Transcrevo um dos comentários:

"(...) O bulício da casa, as noites longas a ouvir as vozes dos filhos só a dizer o nome matriz - Mãe, Mãe!. Tanta coisa por arrumar e lá ia a «Mãe» colocar o desalinho da casa em ordem. Depois de tudo limpo e arrumado vinha à mente a ausência do "Pai". Onde estaria ele àquela hora em que todos estão prontos para colorir-se de sonhos e repouso? Ninguém sabia. Nem os filhos, que há muito não lhe punham a vista em cima como que esquecidos até do talho do rosto, sempre pronto à discussão fosse por que fosse...

Nem era um pai de fim-de-semana, nem de férias (talvez o Natal mexesse com ele e então lá vinha bater à porta para depressa se esquivar não fossem os filhos pedir-lhe alguma coisa), nem perguntava se estavam vivos e saudáveis, nem se a escola ia bem, nem se dormiam, nem se lembravam dele em surdina, para que a mãe não chorasse com a explicação que se via forçada a dar e que explicava, no fundo, a desatenção daquele pai (miserável!).

As horas, os dias, meses e anos iam de corrupio e os filhos cresciam à guarda daquela que, de certeza, ouviu o seu primeiro grito neste mundo... E assim continuava. Ouvia não os gritos mas os olhares saudosos de ter um pai presente...

Um dia, finalmente, houve um "pai" presente. Não era o biológico mas trouxe outros olhares para a mãe que se sentia acarinhada e pronta a enfrentar melhor os dias de ausência de outros barulhos e cheiros. Cheirava a "nova" família. Uma família inteira constituída por todos os membros... Só a sociedade não encara bem estas famílias novas. Um dia talvez entendam o rumo que tudo leva.

Hoje, até se podem matar os filhos de pais "zangados" se tiverem poucas semanas... Antigamente não; Hoje, ainda vão inventar uma maneira de calar todo e qualquer estado desconcertante. Espero que não se lembrem de "matar" os "fantasmas que não deixam impressões digitais" porque já estão mortos.

Desculpe-me o extenso comentário mas ao ler o seu magnífico texto comecei a ver desenhar-se o "outro lado da moeda".

Obrigada por nos fazer pensar. Abraços"

(Autor desconhecido)

**********

Eu comento que gosto dos dois textos porque ambos nos fazem pensar. Quem terá coragem para escrever um texto intitulado: "Filho de pais separados", ou será que já existe?! Vou à procura.


floreado por A_Medusa às 13:48
em flor | a tua pétala aqui | pétalas de mimos (2) | favorito
Quarta-feira, 29 de Agosto de 2007

«Sol e Lua» - de Erigutemberg Meneses



SOL E LUA

Os nossos corpos nus são lua e sol
Se alinhando sobre o firmamento
Da cama e no eclipse, em ritmo lento,
Se queimam e se fundem no lençol.

E quando o sol retarda o arrebol,
A lua se retrai no movimento
Feito de um sobre o outro no intento
De o tempo parar todo em seu prol.

O sol calcina a lua e se queima,
A insistirem ambos numa teima
Onde não há vencido ou vencedor.

Num dia sem ter noite, a eternidade
Oculta-se, chegando a claridade
Do sol real que a lua rejeitou.

Erigutemberg Meneses


floreado por A_Medusa às 00:22
em flor | a tua pétala aqui | pétalas de mimos (2) | favorito
Domingo, 12 de Agosto de 2007

"Hora de amor" - Miguel Torga (Centenário do seu nascimento)

Vem.
Adormece encostada a este braço
Mais débil do que o teu.
Entrega-te despida
Nas mãos de um homem solitário
Que a maldição não deixa
Que possa nem sequer lutar por ti.
Vem,
Sem que eu te chame, ou te prometa a vida.
E sente que ninguém,
No descampado deste mundo, tem
A alma mais guardada e protegida


in Miguel Torga - Poesia Completa - Publicações Dom Quixote
(veja-se aqui - Nothingandall)

Miguel Torga (Adolfo Correia da Rocha) (n. em São Martinho de Anta, Sabrosa a 12 Ago 1907; m. em Coimbra a 17 de Janeiro de 1995).


floreado por A_Medusa às 15:52
em flor | a tua pétala aqui | pétalas de mimos (2) | favorito
Segunda-feira, 23 de Julho de 2007

Sonetos de Erigutemberg Meneses - «Botão de rosa»

BOTÃO DE ROSA


 

Entre as duas nádegas em ondas,

Franzido, a parecer claro ilhós,

Une as duas bandas, sem dar nós

Sobre as coxas fortes e redondas.

 

Descobre-se, apenas, para as rondas

De quem a deleitar-se nos lençóis,

Escuta-o pedir, à doce voz,

Que lhe invada as úmidas golcondas.

 

Sobre ele, puras lágrimas de leite

Gotejam, quando a fenda dos deleites

Se cala nos gemidos de vaidosa.

 

E quem, assim, o vence bem cioso,
E dar-se ao que melhor possui o gozo,
No que é ilhós, vê um botão de rosa.

 

Erigutemberg Meneses


floreado por A_Medusa às 20:44
em flor | a tua pétala aqui | favorito

Sonetos de Erigutemberg Meneses - «Flor única»

FLOR ÚNICA



Negro jardim de ramas espaldadas,
Perdido entre graníticas montanhas,
Esconde nos abismos das entranhas
A flor entre seu leque de grinaldas.

A descrevê-la nem sequer mil laudas
Há de narrar as belas e estranhas
Formas de tantas cores cujas manhas
Fazem serenas, mesmo, as esmeraldas.

E o coletor à frente extasiado
No vegetal segredo é enfeitiçado,
Enquanto a rama nele se enovela.

E escava com as mãos a própria cova
A colher do jardim a espécie nova
Que prazer outra não dá, somente ela.

Erigutemberg Meneses

floreado por A_Medusa às 20:40
em flor | a tua pétala aqui | favorito

Sonetos de Erigutemberg Meneses - «Beijo»

BEIJO


 

Não cobre o beijo apenas uma boca:

Desce o corpo inteiro e atrevido

Sobe o par de seios desvestido,

Saliva no umbigo e lá se empoça.

 

Passeia pelo colo e em troça

Nas ancas e nas pernas é subido,

Deixa o monte de pêlo umedecido,

Faz curva e entre as nádegas papoca.

 

Serpenteia, nas costas se acima,

Descendo a nuca, segue, se aproxima

Dos lábios escondidos pelo ventre.

 

Só lá na aspiral da língua presa

A boca perde toda a vivesa

E o beijo cala noutra boca entre.

 

Erigutemberg Meneses


floreado por A_Medusa às 20:35
em flor | a tua pétala aqui | pétalas de mimos (1) | favorito
Sexta-feira, 13 de Julho de 2007

Sonetos de Erigutemberg Meneses - «Chuva»

CHUVA

Se o céu de veludo se rasgasse,
Ao tato de uma boca pluviosa,
Banhava-se na chuva uma rosa
E o botão que dentro dela nasce.

E se a chuva fina engrossasse,
Criando poça d'água copiosa,
A corola de carne perfumosa
De cheiro, ora, o mundo inundasse.

E se o botão que a rosa se assemelha,
A emergir da onda já vermelha,
Desabrochasse e desse uma flor,

Dentro da rosa, a flor que foi botão
Faria até nascer raiz no chão
Em que a minha língua se tornou.

Erigutemberg Meneses

 
Visite o blog http://www.raptosliricos.blogspot.com/ e conheça outros sonetos do autor.


floreado por A_Medusa às 12:43
em flor | a tua pétala aqui | pétalas de mimos (1) | favorito

Sonetos de Erigutemberg Meneses - «Colar de Pérolas»

COLAR DE PÉROLAS


Rutilam sobre o colo vivas pérolas,
Sem de outras ter valor muito pujante,
E que podem sumir no breve instante
Em que as noites acordem manhãs cérulas.

E mesmo sem ter fios ou argolas
De ouro tecem raro e cintilante
Colar vindo do sulco gotejante
Aberto entre os seios em marolas.

Se entrelaçando em voltas fugidias,
Abandonando o colo, as pedrarias
Invadem a boca cheia de pedidos.

E entre os lábios em lascivas rondas
Misturam-se à saliva e em ondas
Desfazem-se na concha em gemidos.

Erigutemberg Meneses

Visitem a preciosidade dos sonetos deste poeta no blog http://www.raptosliricos.blogspot.com/

floreado por A_Medusa às 12:40
em flor | a tua pétala aqui | favorito
Quinta-feira, 12 de Abril de 2007

Um artigo com «Visão» de Miguel Carvalho

Encontrei um artigo na "Visão Online", na "Devida Comédia", cujo título é "Criancinhas".

Li de fio a pavio e resolvi colocá-lo em
DESTAQUE aqui. Bravo senhor Miguel Carvalho! Numa folha de papel electrónico o senhor conseguiu colocar um retrato fiel da sociedade actual e na casa de muito boa gente.

Depois queixam-se de que haver crimes e abusos vários... Pois... A sociedade está a apodrecer ou não? É que ele tem razão quando escreve: "Um dia destes, vão ser os paizinhos a ir parar ao hospital com um pontapé e um murro das criancinhas no olho esquerdo".

Gosto da maneira de escrever deste senhor porque com os "inhos", "inhas" vai-lhe dando a curtir. Pena que nem um texto assim resolve nada porque pensa-se sempre que isto acontece mas é na casa ao lado. A nossa está uma perfeição, certo? A minha está como sempre esteve à custa de muito esforço pessoal para conseguir equilíbrio.

Vou reter os conselhos que nos dá Miguel Carvalho naquilo que me toca. Confesso que na minha casa não há mesada, semanada nem diária... Há uns trocos para um bocado de gente por isso a coisa muda de figura. Aprendi a ser diferente e quando é preciso berra-se para endireitar cambetas.


floreado por A_Medusa às 08:12
em flor | a tua pétala aqui | pétalas de mimos (1) | favorito

********** Obrigada pela visita e comentário**********

medusadinha

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

pétalas novas

Deusa...da mitologia, de ...

Um poema da Isa - VOZ

Uma oferta para os Açores

Poemas de Bocage

Momento!

"Gostar de ti" - Rita Gue...

Veio de «E Deus criou a M...

Uma oferta especial

Dia de São Valentim

«Amor Perfeito», um poema...

canteiros

Dezembro 2014

Janeiro 2014

Setembro 2013

Agosto 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Maio 2012

Outubro 2011

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Março 2006

Pétalas

aniversário

apresentação

berço de ouro

canção dos bloguistas

flores da medusa

flores de outros autores

flores em destaque

flores especiais

histórico

mote

notícias

poesia em rede

sonetos

uma foto por ilha

todas as tags

Dezembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


amores-perfeitos

procura uma flor

 
SAPO Blogs

subscrever feeds